MEUS PARCEIROS

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

PERDÃO COMPRADO OU OFERTADO

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para serem cancelados os vossos pecados”
(Atos 3.19).


O dia de hoje é celebrado pelos cristãos católicos como Dia de Finados. Este dia foi instituído porque a doutrina católica ensina que uma pessoa falecida não vai diretamente para seu estado final, céu ou inferno, mas passa por um estado de purgação de seus pecados, chamado Purgatório. Ela só é liberada deste estado, após o pagamento de seus pecados mediante sofrimento, contribuição financeira para a Igreja ou orações. A prática de orar pelos mortos surgiu em meados do século V e foi a motivadora para a instituição do Dia de Finados.


No século XVI a doutrina do purgatório tinha um peso muito grande no projeto de conclusão da basílica de São Pedro. Para arredar fundos o Papa passou a vender “indulgências” que garantiriam ao comprador liberação do purgatório bem como dos seus parentes mortos. Ou seja, o perdão dos pecados era comprado com o dinheiro do pecador. João Tetzel, monge e principal mercador das “indulgências”, dizia: “No mesmo instante em que a moeda retine no fundo do cofre, liberta-se a alma do purgatório e voa livre para o Céu”.

Dr. Martinho Lutero, monge e exegeta, levado por conflitos interiores descobre a justificação pela fé somente. A venda de indulgência soava como uma afronta ao ensino Bíblico. Para dar uma resposta a este comércio, Lutero desenvolveu 95 teses e tornou-as conhecida para estimular um debate publico sobre a questão. Foi assim que nasceu a Reforma Protestante do século XVI.


O que motivou Lutero a agir tão corajosamente foi o amor à verdade e o desejo de trazê-la à luz. Hoje temos a necessidade de reforçar a verdade bíblica: “Arrependei-vos!” Isto é, mostrem um sentimento sincero de pesar pelos pecados cometidos e mudem de atitude. Deus oferece gratuitamente o perdão dos pecados a todos os que se arrependem e se convertem. Jesus Cristo morreu na cruz para expiar, pagar o preço do nosso pecado e purgar, purificar a nossa vida. O perdão não é comprado mediante nosso dinheiro, esforço ou boas obras. Mas é obtido mediante a fé, buscando-se refúgio no Salvador. O perdão é uma oferta gratuita de Deus aos homens. Quem a recebe tem o curso de sua vida mudado para melhor.

Não é esta uma oferta digna de aceitação?
Soli Deo Gloria
Rev. Ezequiel Luz

3 comentários:

Terezinha disse...

Do século XVI até a atualidade, muitas coisas aconteceram, tudo evoluiu, inclusive, a Igreja Católica Apostólica Romana, e hoje em dia, ela não cobra as tais "indulgências", para nenhum morto ir por céu.

Sérgio Nogueira disse...

Parabéns pelo seu artigo!!!! O fato de ocorrer mudanças substanciais no âmbito da Igreja Católica Apostólica Romana, não nos isenta de um olhar reflexivo para a história e um alerta atual quanto a salvação somente através da pessoa de Jesus Cristo e pelo arrependimento dos pecados. Parabéns pelo outros textos....

Terezinha disse...

"O perdão é uma oferta gratuita de Deus aos homens".
Porém, os homens não são capazes de perdoar os erros do seu semelhante.
Eu como católica, também, sempre apreciei os textos do Pastor, mas, sinceramente, neste texto não consegui enxergar este "olhar reflexivo para a história" .