MEUS PARCEIROS

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

JOÃO BATISTA NO ADVENTO

“Arrependam-se dos seus pecados e sejam batizados, que Deus perdoará vocês” (Mc 1.4).


Estamos em pleno Advento. As cidades se enfeitam. O comércio se prepara para as vendas. As casas se abastecem para as ceias. As igrejas se iluminam para o culto de Natal. Tudo isto emoldura esta época do ano, mas precisamos também olhar atentamente para João Batista. Não é possível passar pelo Advento sem refletir sobre este personagem e sua mensagem.

João Batista é uma figura exótica e desafiadora. Seu nascimento foi predito de forma espetacular. O pai é o sacerdote Zacarias. Durante o exercício do seu ministério no templo, um anjo revela que sua mulher Isabel dará a luz um filho cujo nome será João. Já adulto, vive no deserto trajando uma roupa feita de pêlos de camelo e um cinto de couro. A alimentação era de gafanhotos e mel do mato. Andava pelo deserto pregando a urgência do arrependimento. Ele era a voz que clamava do deserto. Profecias indicavam ser ele o precursor do Messias, o mensageiro que prepararia o caminho para a chegada de Jesus.

Duas coisas me chamam a atenção quando penso em João Batista. Primeiro é sua pregação incisiva, direta, sem rodeios. Ele não se preocupava em agradar seus ouvintes. Sua mensagem era uma convocação para uma mudança radical nas atitudes e comportamentos. Aponta para a necessidade de arrependimento para a remissão dos pecados. Somente assim seria possível andar com Deus. Segundo é sua coragem. Desprendeu-se de tudo que pudesse significar segurança e conforto. Correu o risco para servir com fidelidade o seu Deus. Terminou seu ministério sendo preso, condenado e decapitado.

Hoje a igreja tem dificuldade com pregadores como João Batista. Prefere os mensageiros de bênção, libertação, prosperidade sem a necessidade de arrependimento e mudança de vida. A Igreja também admira pessoas corajosas e humildes como João Batista. Mas tem dificuldade em seguir os seus passos, em imitar o seu exemplo. O testemunho da Igreja de hoje é acanhado para não dizer covarde.

Portanto, hoje, segundo domingo de Advento temos a oportunidade de confessar nossas falhas e pecados e pedir perdão a Deus. Os frutos do nosso arrependimento serão percebidos na relação fraterna com o nosso próximo. Também serão percebidos no testemunho corajoso da Igreja quando esta for fiel a mensagem do evangelho de Jesus Cristo. Agindo assim a Igreja estará preparando o caminho para a volta do Messias. Amém!




Soli Deo Gloria
Rev. Ezequiel Luz

Um comentário:

Joseli Almeida disse...

Pastor Ezequiel,

assim como João Batista, que não fazia rodeios, sua palavra também foi incisiva. Afinal, que evangelho estamos vivendo? Ou, que evangelho estamos proclamando?
Que Deus nos dê sabedoria e discernimento e a mesma coragem do nosso irmão João... O Batista, é claro!
Valeu!Um abraço,
Joseli