MEUS PARCEIROS

sexta-feira, 25 de março de 2011

A SANTIDADE DA ESPERA

“E também nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança” (Rm 5.3-4).

Quem já visitou a cidade de Maringá, no Paraná deve ter observado com admiração os semáforos de “contagem regressiva”. À medida que o tempo passa a luz vermelha superior vai descendo até chegar ao encontro da luz vermelha de baixo. Nesse instante, o sinal abre e a luz verde superior realiza o mesmo processo até encontrar a luz verde de baixo. Isso é muito bom para que os motoristas tenham uma noção do tempo que falta para o sinal abrir. Ou, vendo do lado negativo, para saber o quanto os motoristas devem acelerar para passar o sinal verde antes que ele feche.

O semáforo de contagem regressiva foi criado por uma simples razão: os motoristas não sabem ou não querem esperar. Esse é um exercício difícil em qualquer área da vida. Via de regra, a impaciência surge nos momentos mais cruciais da vida, quando queremos logo a solução para os nossos problemas. Mas a espera faz parte do processo do nosso amadurecimento espiritual.

Por não sabermos esperar é comum, em nossos dias, ouvirmos pregadores oferecendo tudo o que Deus pode fazer a nosso favor: cura das enfermidades, libertação da opressão e do sofrimento, prosperidade, segurança e proteção. Pouco ou nada se fala sobre o custo do discipulado cristão, sobre as fronteiras de nossa obediência ou sobre o resultado do sofrimento. Parece que o único compromisso de Deus é proporcionar-nos felicidade, livrar-nos da espera e solucionar os nossos problemas com rapidez.

Mas a Bíblia mostra os apóstolos se regozijando por terem sido dignos de sofrer por causa do nome de Jesus (Atos 5.41). Também somos alertados de que todos os que querem obedecer a Jesus serão perseguidos (2Tm 3.12). Tiago corrobora com esse ensino ao dizer que devemos considerar como motivo de grande alegria o passar por diversas provações. Só os verdadeiros cristãos estão prontos a sofrer por causa de seu chamado. Não se desesperam diante do sofrimento, sabem esperar com paciência o tempo de Deus. Creem que quando Deus faz uma ferida, ele também providencia a cura.

Deus não tem prazer em nosso sofrimento, mas o sofrer faz parte do nosso discipulado. Imagine se Deus resolvesse tudo muito rápido, se ele não nos fizesse esperar. Acharíamos tudo muito fácil. Não aprenderíamos a ter paciência, nem o valor da perseverança. Assim nunca avançaríamos para o alvo de ter um caráter igual ao de Jesus Cristo.

Em nossa caminhada cristã muitas vezes teremos que parar diante o semáforo vermelho. Essa parada serve para refletirmos em nosso compromisso com Deus, serve para produzir paciência. Mas quando Deus acender a luz verde, então é hora de avançar. Nessa caminhada devemos ser firmes na graça e nos alegramos na esperança de participar da glória de Deus.

Soli Deo Gloria
Rev. Ezequiel Luz

Um comentário:

Ìcaro disse...

Pastor Zica, o senhor é uma benção na minha vida! Agradeço à Deus por ser sua ovelha. Sem sombra de dúvidas, o senhor é um homem inspirado e usado por Deus para abençoar minha família. Deus o abençoe infinitamente mais.
Com carinho.